English

RPPN – Fazenda Macedônia

Localizada à margem direita do Rio Doce, no município de Ipaba, Leste de Minas Gerais, a Fazenda conta com uma área total de aproximadamente três mil hectares, dos quais cerca de 50% estão cobertos com vegetação nativa. No restante da área, os projetos de reflorestamento com eucalipto são implementados utilizando as mais modernas técnicas, com o objetivo de obter a máxima produção de madeira e manter a capacidade produtiva do ambiente.

A área de florestas nativas da Fazenda Macedônia é um dos principais remanescentes de Mata Atlântica no Estado, sendo parte desta (560 hectares) reconhecida pelo IBAMA como Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), por meio da Portaria n° 111, de 14 de outubro de 1994.

Na Fazenda Macedônia é desenvolvido, desde 1990, o pioneiro Projeto de Reintrodução de Aves Silvestres Ameaçadas de Extinção, o Projeto Mutum. Realizado em parceria com a Sociedade de Pesquisa do Manejo e da Reprodução da Fauna Silvestre (CRAX), por meio de um acordo de cooperação técnico-científica, já possibilitou a soltura do Mutum-do-sudeste (Crax blumenbachii), do Macuco (Tinamus solitarius), da Capoeira (Odontophorus capueira), do Jaó-do-sul (Crypturellus n. noctivagus), do Inhambuaçu (Crypturellus obsoletus), do Jacuaçu (Penelope obscura bronzina) e da Jacutinga (Aburria jacutinga).

A RPPN é considerada, ainda, uma Floresta de Alto Valor de Conservação (AVC), nomenclatura utilizada pelo Forest Stewardship Council® (FSC®) para designar áreas consideradas notavelmente significativas ou de extrema importância biológica, ecológica, social ou cultural. No caso da Reserva, o principal atributo que a confere como uma AVC é a presença de espécies da fauna brasileira ameaçadas de extinção.

Os estudos e monitoramentos ambientais realizados no local já possibilitaram, até o momento, o registro de 397 espécies de aves e 68 espécies de mamíferos de médio e grande porte, sendo que 32 espécies (21 de aves e 11 de mamíferos) encontram-se presentes em listas oficiais de espécies ameaçadas de extinção.

Faça uma visita virtual em http://ow.ly/NvCV50uI4Ly